Receba conteúdo exclusivo
sobre Transformação Digital
COMPARTILHE
  • O impacto da transformação digital no e-commerce, compartilhar no facebook.
  • O impacto da transformação digital no e-commerce, compartilhar no facebook.
  • Compartilhar por e-mail
O impacto da transformação digital no e-commerce
23/10/2019

Dizer que haverá um impacto na transformação digital no e-commerce pode parecer má informação para alguns. Afinal, eles consideram que o e-commerce é um dos causadores da transformação digital. Isso é verdade, mas apenas em parte e não explica o contexto que estamos vivendo.

E-commerce é um processo nascido no ambiente digital, com certeza, mas o estado da evolução do ambiente digital fará com que ele mude também e, eventualmente faça com que o e-commerce acabe de vez.

Para chegar nesta conclusão, é precisamos considerar alguns pontos vitais:

E-commerce não é causa, é efeito
O primeiro ponto a destacar é que o e-commerce não é a causa de nada, sendo apenas o efeito da maior digitalização da sociedade e o impacto disso nos seus hábitos de consumo. Não importa se seu produto ou serviço pode ser vendido pela internet, o fato é que seus clientes, amigos e fornecedores já estão fazendo compras pela internet.

Este comportamento já existe, está acelerando e não poderá ser parado. As pessoas vão comprar pela internet porque há vantagens intrínsecas ao canal que não podem ser copiadas facilmente no varejo ou atacado físico.

São elas:
escala
mix de produtos
informação


Essas três vantagens explicam por que algumas categorias praticamente migraram para o e-commerce. Maior parte das vendas de autopeças, peças para máquinas e similares são realizadas pela internet.

Operações de E-commerce são fáceis de escalar
Essa é a vantagem mais óbvia. Uma loja enorme de calçados fatura cerca de R$ 1 milhão por mês. Porém apenas alguns pontos de altíssima concentração de pessoas possibilitam um faturamento desses.

Por outro lado, não é raro encontrar uma operação de e-commerce de calçados vendendo mais de R$ 1 milhão por mês, para cidades de todo o Brasil. É bem mais fácil escalar quando seu público potencial é de 100 milhões de pessoas.

E-commerce permite prateleira infinita
Pela internet os compradores de peças para automóveis, em sua maioria mecânicos e entusiastas, podem rapidamente encontrar quaisquer itens que desejem. Limpador de para-brisa de fusca? Tem, e de vários tipos. Pneu original de Ferrari? Tem, e em várias lojas. Carburador de Chevette? Deve ter, esse eu não tive coragem de buscar.

Uma das vantagens evidentes da internet é permitir acesso a uma gama infinita (ou quase isso) de vendedores. No século passado, muitas vezes era necessário recorrer a catálogos caros para achar as peças necessárias. E então fazer encomendas que demoram 3, 4 meses para chegar.

A transformação digital dos fabricantes, distribuidores e revendedores de autopeças permitiu que fosse mais fácil e barato manter seu carro em dia.

Internet equilibra a informação
É muito mais fácil comparar produtos e fornecedores pela internet. Isso faz com que maior parte das compras de produtos de alto comprometimento comece online, mesmo aquelas que terminam em uma loja física. Ferramentas como comparadores de preço, reviews de produto e comentários sociais são importantíssimas permitem que o consumidor tenha tanta informação quanto o vendedor acerca de determinado produto.
 

Essa vantagem não impacta apenas o varejo não! Impacta todo mundo!



Uma desvantagem clara do consumidor sempre foi a assimetria na informação. O vendedor sabe quanto custa, sabe os juros, sabe se o produto é bom ou ruim e não necessariamente compartilhava tudo isso com o cliente. Hoje, esse tipo de informação está por todos os lugares.

Outro ponto importante é que a informação equilibrada permitiu a entrada no mercado de milhares de novas empresas. Usando como exemplo o mercado de autopeças, antigamente o consumidor só tinha algumas opções disponíveis conhecidas próximo de si, ou indicadas em seu círculo social, ou através de catálogos de origem duvidosa.

E isso mudou muito!
Atualmente boa parte dos compradores de autopeças só compra no MercadoLivre e em um punhado de sites confiáveis. Não é questão de preço, é de reputação. O Mercado Livre está desenvolvendo processos de avaliação de sellers há mais de 20 anos. O comprador sabe disso e confia no sistema.

No outro extremo, muitos clientes hoje buscam o nome do fornecedor no Google ou Bing e, caso tenha uma avaliação ruim, simplesmente evitam. Faça uma experiência agora, aí onde você está. Abra o Google em seu celular e busque "pneus" ou "oficina mecânica", e então veja quais resultados aparecem antes.

Via de regra são de empresas locais bem-avaliadas no Google Meu Negócio.

A transformação digital vai acabar com o E-commerce
Esta não é uma afirmação absurda. Eventualmente a transformação digital fará com que o termo "e-commerce" não faça mais sentido, pois todo o varejo será multicanal. Quem não estiver online, não estará offline e vice-versa. Será impossível separar um do outro. Todo o varejo e atacado será também um e-commerce.

Este processo já vem acontecendo em alguns setores. No caso de serviços bancários, por exemplo, os canais online e offline já estão quase totalmente integrados. Turismo é outro setor em que a transformação já vem forte e é quase impossível separar os canais de vendas entre online e offline.

É natural, é esperado e é desejável que isso aconteça com o comércio. Não queremos ficar para sempre no século XX, não é mesmo?

Autor: Daniel Bender

trans
forma
ções