Receba conteúdo exclusivo
sobre Transformação Digital
COMPARTILHE
  • Escolas Públicas de SC retomam aulas com plataforma Google for Education, compartilhar no facebook.
  • Escolas Públicas de SC retomam aulas com plataforma Google for Education, compartilhar no facebook.
  • Compartilhar por e-mail
Escolas Públicas de SC retomam aulas com plataforma Google for Education
09/04/2020

A Secretaria de Estado da Educação de Santa Catarina (SED) estabeleceu o sistema de trabalho para que professores e alunos da rede estadual de ensino possam realizar atividades não presenciais durante a suspensão das aulas nas escolas para prevenir o contágio pelo novo coronavírus.

As ações coordenadas compõem uma plataforma com diferentes canais de comunicação, ferramentas pedagógicas e procedimentos para alcançar, com a maior abrangência possível, o universo dos 540 mil alunos de escolas estaduais.

O planejamento foi detalhado pelo governador Carlos Moisés e pelo secretário de Estado da Educação, Natalino Uggioni, em entrevista coletiva online nesta segunda-feira, 6. "Nosso plano prevê a retomada da educação dos catarinenses de forma segura. Estamos trabalhando todos os dias para preservar a saúde e as vidas, ao mesmo tempo em que preparamos o convívio seguro com a Covid-19", explicou o governador.

A sistematização das atividades visa atender à resolução CEE 009, do Conselho Estadual de Educação, que dispõe sobre o regime especial de atividades escolares não presenciais no Sistema Estadual de Educação de Santa Catarina, para o cumprimento do calendário letivo do ano de 2020.

A Secretaria apurou por meio de dados do Sistema de Gestão Escolar do Estado (Sisgesc) que 18% dos estudantes e 8% dos professores da rede não têm acesso à internet em casa.

O secretário Natalino Uggioni destaca os pontos principais para as escolhas feitas pela SED. “Avaliamos os recursos disponíveis para a maior agilidade, integração e facilidade de uso possíveis, contribuindo com a retomada das atividades. Priorizamos um processo em que o nosso professor é protagonista do início ao fim, em uma estrutura básica para o ciclo de entrega de conteúdos, interação com o aluno e avaliação”, reforça o secretário.

Plataformas tecnológicas e entrega de materiais impressos

Os dados levaram a SED a duas soluções. A primeira, para alunos com acesso à internet, contempla o envio de atividades e as interações com a turma e o professor por meio da plataforma Google Sala de Aula (Classroom).

Professores e alunos têm pelo menos mais três ferramentas de apoio para o acesso a conteúdos por etapa de ensino, que são o livro didático, a área de Recursos Digitais de Aprendizagem do site da SED e o SED Digital, um banco gratuito de cursos a distância, com conteúdos de acordo com a Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Há manuais específicos tanto para os alunos quanto para os professores acessarem suas contas e usarem a plataforma Google Sala de aula.

Para alunos sem acesso à internet, será realizada a entrega de material impresso, com a complementação de disparos de mensagens em SMS e um número 0800 para dúvidas, sobre a busca de conteúdos impressos por região, completam o atendimento de alunos sem acesso à rede mundial de computadores. O 0800 está em implementação e o número será divulgado nos próximos dias.

Modalidade digital inclui formação docente e ferramentas Google
Para a modalidade digital, nas últimas duas semanas de recesso escolar antecipado, foram criadas contas Google para todos os alunos da rede estadual e para cada professor, incluindo suas diferentes disciplinas.

O processo irá culminar, nos próximos dias, com a enturmação on-line, que é a organização no ambiente virtual das turmas que já existem na escola, promovendo o encontro entre os alunos e seus professores na plataforma digital.

Nesta modalidade, os professores irão adequar ou criar seus planos de aula para realizar atividades não presenciais, que podem ser em formato de vídeos, videoconferências, formulários de questões, documentos de texto, chats, entre outras iniciativas, de acordo com as adaptações que os docentes escolherem para seus planos de ensino.

O uso de grupos de whatsapp, blogs, mídias sociais, aplicativos e outros recursos também pode fazer parte das atividades para melhorar a interação com os alunos. Avaliações e informes de conteúdo têm as aplicações Professor Online e Estudante Online como base.

Formação on-line de 40 horas com certificado
Os professores realizam, a partir de suas casas, a formação docente on-line de 40 horas ministrada por especialistas SED e Google, com certificação. Para os professores sem acesso à internet, a escola deverá disponibilizar um espaço físico adequado, com computador e internet, e o respeito às normas estabelecidas pela Secretaria de Estado da Saúde. As datas disponíveis de formação para estes casos serão anunciadas às escolas pela área de Ensino das 36 Coordenadorias Regionais de Educação.

“É uma operação grande, complexa, mas que nos faz zelar pelo relacionamento já existente entre a escola, o professor, o aluno e seus pais ou responsáveis. Pretendemos implementar soluções de fácil acesso à comunidade, com a contribuição das coordenadorias regionais e das escolas para nos indicar alguns direcionamentos, de acordo com cada região”, explica a diretora de Ensino da SED, Zaida Jerônimo Rabello Petry.

Soluções incluem estudantes e professores sem internet
Alunos e professores sem conexão com a internet também estão inseridos na plataforma. No caso do professor, ele poderá marcar dias e horários com a frequência desejada para utilizar a estrutura da escola, como computador e internet, e realizar suas atividades de planejamento e transferência de materiais para a plataforma Google ou as demais escolhidas.

A escola deve seguir os protocolos da Secretaria de Estado da Saúde, como evitar a aglomeração de pessoas e prover a adequada higienização dos ambientes e equipamentos durante a presença do professor.

Os alunos receberão apostilas semanais com as atividades preparadas pelo professor, distribuídas a aluno, pais ou responsáveis em datas e horas agendadas, com um prazo para a entrega na escola. A unidade disporá de computadores e fará a impressão das atividades.

Adaptações podem ser determinadas em acordo entre escola e Coordenadoria Regional de Educação, como a busca ativa de alunos que não tiveram acesso às atividades e a forma de entrega de materiais impressos. A preparação dos materiais pelos professores será realizada ao longo desta semana, de 6 a 10 de abril.

Um reforço na comunicação sobre as atividades não presenciais será dado por meio de envios de mensagem SMS, com informes de entrega de materiais, além de um telefone 0800 disponível para o atendimento de dúvidas regionais sobre a logística de atuação da rede. Os casos excepcionais de alunos em que não for obtido o contato com a escola serão verificados em todas as regiões, para a oferta de atividades periódicas dentro da unidade de ensino.

Para a gerente do Ensino Médio e Profissional da SED, Maria Teresa Hermes Cobra, o desafio é uma oportunidade para alunos e professores desenvolverem novas habilidades. “Sabemos que este período contribuirá para o desenvolvimento da comunidade escolar, a apropriação de conceitos, terminologias e dinâmicas digitais que fazem parte de conteúdos escolares necessários ao século 21." 

No retorno às atividades presenciais, diante dos desafios que possam se apresentar no processo, as escolas organizarão momentos para aprofundar os estudos mediados, desenvolvendo as aprendizagens essenciais previstas pela Base Nacional Comum Curricular."
 

trans
forma
ções